Mantendo viva a chama do dom de Deus

“Por essa razão, torno a lembrá-lo de que mantenha viva a chama do dom de Deus que está em você mediante a imposição das minhas mãos. Pois Deus não nos deu espírito de covardia, mas de poder, de amor e de equilíbrio”. II Timóteo 1:6

A 2ª Carta de Paulo a Timóteo são palavras de encorajamento e instrução para que Timóteo cumprisse plenamente o seu ministério diante da perspectiva de sofrimentos e dificuldades. Segundo estudiosos, o texto chave seria II Timóteo 4:5 – “Você, porém, seja moderado em tudo, suporte os sofrimentos, faça a obra de um evangelista, cumpra plenamente o seu ministério”.

Paulo inicia seu encorajamento numa abordagem afetiva: “ao lembrar-me constantemente de você, noite e dia, em minhas orações” (v.3); “Lembro-me das suas lágrimas” (v.4); “Recordo-me da sua fé não fingida” (v.5); focando inicialmente na pessoa e não no seu ministério.

Num segundo momento ele foca naquilo que Timóteo deveria fazer e então o exorta a que mantenha viva a chama do dom de Deus – “Por essa razão, torno a lembrá-lo de que mantenha viva a chama do dom de Deus que está em você mediante a imposição das minhas mãos” (v.6). Interessante notar que Paulo usa novamente o verbo lembrar, usado por três vezes na abordagem mais afetiva.

Na continuidade do encorajamento, Paulo começa a lembrar Timóteo do seu chamado: “que está em você mediante a imposição das minhas mãos” (v.6b), lembrando que ele, Paulo, participara do processo de chamado de Timóteo. Isso ele faz em outras duas referências na 1ª Carta: “Esta é a admoestação que faço a você, meu filho Timóteo, segundo as profecias que anteriormente foram feitas a seu respeito…” (I Tm 1:18); e “Não seja negligente para com o dom que você recebeu, o qual lhe foi dado mediante profecia, com a imposição das mãos do presbitério” (I Tm 4:14).

A pergunta natural seria a que dom Paulo está se referindo?
I Tm 4:5 diz: “faça a obra de um evangelista, cumpra plenamente o seu ministério”, nos leva a crer que poderia ser o dom de evangelista, mas “dom” no sentido mais amplo faz referência ao chamado ministerial e ao ministério a que Timóteo foi incumbido. Podemos dizer que Timóteo recebeu um chamado ministerial mediante profecia e com imposição de mãos de Paulo e do presbitério.

Da mesma forma, acredito que cada cristão recebe de Deus um chamado ministerial para servir conforme o “dom” que recebeu. Hoje Deus tem para cada um de nós uma palavra de encorajamento: “mantenha viva a chama do dom de Deus” (NVI) ou “que reavive o dom de Deus” (ARA) ou “avivar a chama do dom” (NVT).

Qual o seu chamado? Se ainda não sabe, o desafio é buscar a Deus e, debaixo da orientação da liderança pastoral, em oração ter este entendimento. Já sabe, então: a palavra hoje é “mantenha viva a chama do dom de Deus”.

Por Eduardo Goya

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *